Plantão Itabuna - A denúncia é sua, a missão é nossa: Justiça aponta quartel na prefeitura de Prado, bens da prefeita são bloqueados

domingo, 3 de março de 2019

Justiça aponta quartel na prefeitura de Prado, bens da prefeita são bloqueados


Uma decisão da justiça da comarca de Prado desbaratou um desenho administrativo na Prefeitura Municipal, tipificada como uma organização de um grande esquema para fraudar processo licitatório (cartel), superfaturamento de preços, posterior subcontratação ilegal da execução do serviço de transporte escolar, recolhimento e distribuição de 50% do dinheiro público, com provável desvio de quase R$ 4 milhões em favor dos membros da organização. Aduzindo os autores, em apertada síntese, a decisão do juiz de direito Leonardo Santos Vieira Coelho, provocada por uma Ação Popular com pedido de tutela de urgência, tem por escopo anular ato ilegal da gestora pública Mayra Pires Brito, tendo em conta que esta celebrou contrato ilegal com a empresa Katharina Transportes e Locação de Máquinas LTDA – ME e demais acionados, supostamente para lesar os cofres do município de Prado.
Os autores da Ação Popular foram os vereadores Antônio Eduardo Santana da Ressurreição, o “Professor Boloca” (PMDB); Odiley Queiroz Matos (DEM); Luciana Pires de Oliveira (PSB) e o cidadão Fernando Miruaba. Eles revelaram a existência de uma organização criminosa em um processo licitatório no valor de R$ 3.676.500,00 que foi realizado sob suspeita de cartel com indícios claros de superfaturamento no transporte escolar no município de Prado, onde 50% do valor era devolvido de propina para os agentes da organização, que segundo os autos do processo nº 8000077-64.2019.805.0203, o esquema era operado por Zilmar Barbosa. Além disso, o valor de R$ 200 mil pago cada ônibus, seria o valor que o município compraria um veículo igual 0-Km para servir a rede pública de ensino.
Fonte: J Bastos.

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PUBLICIDADE!

PUBLICIDADE!