Plantão Itabuna - A denúncia é sua, a missão é nossa: DENÚNCIA: MATERNIDADE ESTER GOMES E O DESCASO COM GESTANTES DE ITABUNA

terça-feira, 24 de setembro de 2019

DENÚNCIA: MATERNIDADE ESTER GOMES E O DESCASO COM GESTANTES DE ITABUNA

Documento de uma paciente que entrou na unidade 16:44 e foi regulada 06 horas depois na Maternidade

A jovem Karoline Matos das Virgens, 23 anos, foi submetida a um parto cesariana nesta segunda-feira (23), no Hospital Manoel Novaes, em Itabuna. Antes de trazer para o mundo sua filha prematura de sete meses, teve que bater na porta na Maternidade Ester Gomes por duas tentativas, mesmo assim não foi atendida. “Eles alegaram na última vez que o atendimento só começaria a parti das 07:30”, revela o avô, Marcelo das Virgens.

Segundo a família, em entrevista ao Plantão Itabuna, a paciente chegou uma hora antes, 06:30, sangrava muito, mas nada sensibilizou o atendimento. A orientação dada foi seguir para o Manoel Novaes, entretanto, não regularam a gestante. “Quando chegamos no Novaes, não houve o atendimento pelo SUS, ela teria que está regulada”, revela.

Diante da situação de emergência, a paciente foi internada como particular no pediátrico Manoel Novaes, pagando de imediato a consulta, depois ficaram de acertar o parto. Para esse tipo de procedimento o valor é orçado em R$ 4 mil, pagamento feito avista (médico) e no cartão de crédito (hospital).

Impasse

Em agosto desse ano, o ex-secretário de saúde Josimar Sales, decidiu não renovar o contrato com o Hospital Manoel Novaes. Com isso, o pediátrico que é referência pela estrutura e logística, ficou impossibilitado financeiramente de continuar o atendimento pelo SUS. Porém, em casos de emergência a Maternidade deve receber os pacientes e regular de acordo a necessidade, procedimento que não aconteceu com a paciente Karoline.

De acordo com informações de bastidores da política, a retaliação com o Hospital Manoel Novaes seria pelo posicionamento político do provedor Eric Júnior. Uma fonte do site revela que verbas estão sendo repassadas “aos pedaços”, com isso, sem o contrato junto à prefeitura, ocorreram os atrasos de salários dos funcionários. 

Regulação

De acordo com a vereadora Charliane Sousa (ainda PTB e futura MDB), documentos comprovam que a Maternidade Ester Gomes não está regulando os pacientes. “Tem mães que chegam pela manhã e são reguladas 22 horas, e até no outro dia, não se pode brincar com a vida do outro, absurdo isso”, dispara.

Conforme a edil, os pais da mamãe Karoline das Virgens serão orientados e acompanhados mover uma ação junto ao Ministério Público.

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Claro, se o dinheiro é administrado pelo filho dele, vai passar verba para a Santa Casa , vergonha isso, cadê o MP?

    ResponderExcluir

PUBLICIDADE!

PUBLICIDADE!